AHRESP apela a desconvocação de greve da TAP

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) lamentou hoje que "Portugal seja notícia em todo o mundo pelos piores motivos" e apelou à desconvocação da greve da TAP e SATA com "a maior brevidade".

Num comunicado intitulado "Superior interesse de Portugal", a AHRESP apelou "para que, com a maior brevidade, seja desconvocada a anunciada greve, associando-se ao esforço que a esmagadora maioria dos portugueses está a realizar para conseguir salvar a economia do país".

A associação salientou que o anúncio da greve para a próxima semana foi "imprudente e indiferente" às dificuldades do setor e já "conduziu ao cancelamento de milhares de oportunidades de negócio e à perda irreversível de milhões de euros".

"Sabemos que o direito à greve está consagrado constitucionalmente, mas também sabemos que esse direito deve ser acionado de forma responsável, à luz do bom senso e do interesse nacional, assegurando que as intenções de uma minoria não coloquem em causa os valores da maioria e até da sobrevivência do país", acrescentou a AHRESP.

Na terça-feira, o presidente da TAP, Fernando Pinto, disse que já foram canceladas 21.000 reservas de voos para os dias da greve, de 21 a 23 de março, um protesto que, a concretizar-se, deverá custar 15 milhões de euros.

Os 12 sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP entregaram o pré-aviso de greve para os dias 21, 22 e 23 de março, em protesto contra os cortes salariais na companhia área.

Em fevereiro, a TAP implementou os cortes salariais determinados para a generalidade da função pública e das empresas do setor empresarial do Estado, entre os 3,5% e os 10%, em salários brutos acima de 1.500 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG