Adjudicações diretas ultrapassam os 13,5 mil milhões

As adjudicações diretas feitas por entidades públicas, nos últimos quatro anos, totalizam 13.521 milhões de euros, quase o valor de quatro aeroportos como o que esteve anunciado para Alcochete, revelam dados do portal Despesa Pública.

Por empresas, desde 2008, o top da atribuição de empreitadas e compras, sem concurso público, é ocupado pela Parque Escolar, criada para reabilitar edifícios dos estabelecimentos de ensino, que fez 1.234 adjudicações diretas, no total de 1.880 milhões de euros, mais de duas vezes o custo da Ponte Vasco da Gama, inaugurada em 1998.

De acordo com os dados públicos disponíveis na terça-feira, a Refer, empresa que gere a rede ferroviária nacional, surge em segundo lugar, com 450 adjudicações sem concurso, no mesmo período, pelas quais terá pago mais de 439,6 milhões de euros.

O pódio encerra com a EDP-Distribuição, que apenas celebrou 25 contratos sem concurso, mas pelos quais pagou 430,7 milhões de euros.

Em quarto lugar, encontra-se a Estradas de Portugal que efetuou pagamentos de 327,2 milhões de euros pelas 766 adjudicações diretas que concretizou, surgindo em quinto lugar a Câmara de Lisboa, com mais de 4.500 atribuições sem concurso, pelas quais pagou 191,9 milhões de euros.

Se o universo for visto na perspetiva das entidades a quem mais foram feitas adjudicações diretas, as empresas de construção civil ocupam os primeiros 14 lugares da lista, com a Mota-Engil à cabeça, com uma faturação de 188,5 milhões de euros relativa às 86 adjudicações que recebeu desde 2008.

A seguir aparece a OPWAY -- Engenharia, a quem foram feitas apenas 14 adjudicações sem concurso, mas pelas quais recebeu 173,4 milhões de euros.

As restantes três empresas que fecham o "top cinco" são a Lena -- Engenharia e Construção (151,1 milhões de euros), a Construções Gabriel Couto (146,1 milhões de euros) e a Avelino Farinha e Agrela (144,9 milhões de euros).

Ao todo, a verba recebida por estas cinco construtoras por adjudicações sem concurso ultrapassou os 800 milhões de euros, ainda segundo o portal Despesa Pública (www.despesapublica.com)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG