"A EDP não vai transformar-se numa empresa chinesa"

O presidente do Banco Espírito Santo Investimento, que assessorou a Three Gorges na aquisição de 21,35% das ações da EDP, assegura que esta não vai ser transformada numa empresa chinesa e que o interesse da China passa por unir-se aos restantes acionistas para investir no mercado norte-americano ou da América Latina. Este foi um dos grandes temas da entrevista que deu ao Gente que Conta, programa conduzido por João Marcelino, diretor do DN, e Paulo Baldaia, que dirige a TSF.

Questionado sobre esta privatização, José Maria Ricciardi considera que o Governo foi corajoso ao resistir às pressões, escolhendo de forma transparente a melhor proposta de compra das ações da EDP. O presidente do BESI elogia o executivo de Pedro Passos Coelho, não só na estratégia de venda das empresas públicas mas na condução das próprias políticas de austeridade no País.

Defende que o programa de ajustamento do défice deveria ser feito num período mais alargado, sob pena de a recessão impedir o desenvolvimento económico em Portugal, e acusa os dirigentes políticos, do País e da Europa, de fazerem dos bancos os "bombos da festa", atribuindo-lhes de forma demagógica as responsabilidades da crise.

Leia mais no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG