Troika pode ir embora mas a austeridade não

O próximo ano será marcado pelo fim do programa de ajustamento, embora persistam dúvidas sobre a saída troika. A austeridade continua mesmo com o fim da recessão.

O chefe da missão do FMI deixou o aviso: "As distorções na economia foram construídas ao longo de décadas e é irrealista pensar que podem ser removidas em três anos de programa de ajustamento". Acrescentou que as transformações na economia portuguesa terão de continuar nos próximos 10, 15 anos.

Ao "Diário Económico", João Loureiro, economista e professor da Universidade do Porto, diz que nas contas públicas o trabalho não está concluído. "Se tudo correr como previsto, ficamos ainda assim com um défice de 4% do PIB, é preciso ainda um grande ajustamento até ao equilíbrio orçamental".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG