Temos um milhão de eleitores-fantasma

Os eleitores-fantasma são mais de um milhão e vão inflacionar a taxa de abstenção nas eleições autárquicas. Se saíssem dos cadernos, haveria também uma redução no número de autarcas e nos salários, escreve o 'Jornal de Notícias'.

Cerca de 10% dos cidadãos inscritos nos cadernos eleitorais de todo o país não vão votar, porque morreram (a maioria) ou porque emigraram. Um problema novo para as autárquicas de 29 de setembto é o do mapa das freguesias.

A segunda consequêcncia do número excessivo de eleitores é que "vão implicar uma maior despesa para o erário público ao longo dos próximos quatro anos". Ese último efeito, explica ao 'Jornal de Notícias' Luís Humberto Teixeira, mestre em Política Comparada pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; está relacionado com o facto de o número de autarcas, e respetivos salários, ser definido em função do número de eleitores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG