Taxa audiovisual na fatura da luz pode ter os dias contados

Secretário de Estado da Energia deseja pôr fim ao que classifica como "um subsídio cruzado dos consumidores de eletricidade aos das telecomunicações.

O "Jornal de Negócios" escreve na sua edição de hoje que "há muito contestada, a contribuição audiovisual na fatura da eletricidade poderá ter os dias contados. O Ministério da Economia está em vias de lançar no Governo uma proposta para eliminar aquela rubrica, que custa a cada consumidor de eletricidade 2,25 euros por mês, servindo para financiar a RTP. "Na taxa audiovisual de facto há que fazer uma reflexão. Iniciámos uma reflexão ao nível do planeamento energético que iremos partilhar com mais membros do Governo", disse o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade".

Segundo o jornal, "o governante não se compromete com a eliminação pura e simples da contribuição audiovisual, mas sim com a retirada da fatura elétrica. Segundo Artur Trindade, a solução poderá ser "deslocar (a taxa) para os sectores que têm relação direta ou indirecta com o audiovisual". "Estamos a chegar à conclusão de que se trata de um subsídio cruzado dos consumidores de eletricidade para os de telecomunicações", disse.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG