Sucateiro até a mortos passava fatura

Empresário de 34 anos foi detido por fraude fiscal e branqueamento de capitais. Terá passado oito milhões de euros em faturas falsas, que até mortos incluiam.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "Um empresário de sucatas fintou o Fisco em dois milhões de euros com faturas falsas que até chegou a passar a mortos. Foi preso pela PJ de Aveiro e teve que pagar um milhão de euros para sair em liberdade. Frederico Ligeiro, de 34 anos, já era conhecido das autoridades, mas conseguiu escapar, durante anos, até ser novamente detido, esta semana. O empresário, que detém empresas no ramo das sucatas, está indiciado pelos crimes de fraude fiscal e de branqueamento de capitais, sendo suspeito de ter lesado o Estado português em dois milhões de euros. Ontem, foi apresentado ao juiz de instrução criminal no Departamento de Investigação e Ação Penal de Aveiro e ficou sujeito a termo de identidade e residência, mediante o pagamento de uma caução de um milhão de euros".

Segundo o jornal, "O sucateiro comprava sucata roubada a particulares e proveniente de mercados paralelos não passando quialquer tipo de faturas. Para justificar o material, montou um esquema de faturação falsa, em nome de empresas fictícias e até de particulares já falecidos. Calcula-se que o empresário tenha emitido faturas falsas no valor de oito milhões de euros, em apenas três anos, defraudando os cofres do Estado em dois milhões de euros".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG