Submarinos espiam tráfico a 300 metros de profundidade

Os novos submarinos estão a ser intensamente usados no combate ao tráfico de droga, com capacidades que deixam a décadas de distância a antiga frota. mas o custo total foi de mais de mil milhões.

O uso de submarinos no combate ao tráfico de droga, para vigiar os movimentos dos traficantes, era já uma das missões da anterior esquadrilha. mas os dois novos submarinos - "Tridente" e "Arpão", em serviço na Armada desde 2009 e 2010, respetivamente - apresentam características de tal forma desenvolvidas que a Marinha não as pode revelar. Mesmo a 300 metros de profundidade, têm capacidade para seguir um alvo.

"Este tipo de questões é de natureza reservada", salienta, a propósito, o Estado-Maior da Armada, embora o "Jornal de Notícias" afirme que os submarinos têm sido usados na vigilância das costas de países usados por traficantes de droga.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG