SPD alemão elogia Governo português

SPD elogia "grande esforço" de Portugal e diz-se pronto a apoiar um cautelar.

O semanário "Sol" escreve hoje que "a uma semana da decisão do Tribunal Constitucional sobre o corte de pensões, a Europa dá sinais de querer empurrar Portugal para fora do resgate. Da Alemanha, os socialistas do SPD - agora no poder, ao lado de Angela Merkel - elogiam o Governo de Passos Coelho e garantem o apoio para um programa cautelar, se este vier a ser necessário. "O SPD reconhece o grande esforço e importante progresso que Portugal fez nos últimos anos, no âmbito do programa de assistência", afirmou Jochen Wiemken, do gabinete do porta-voz dos socialistas alemães. Em resposta a perguntas do semanário acerca das condições exigidas pelo partido para apoiar um eventual programa cautelar, a posição assumida é prudente, deixando em aberto até a hipótese de Portugal regressar aos mercados sem apoio oficial europeu, como acontece a partir de domingo com a Irlanda. "O SPD apoia Portugal no acesso direto ao mercado de capitais e, por conseguinte, mantém o seu apoio para uma futura assistência que possa ser necessária para alcançar esse objetivo. Se o Governo português chegar à conclusão que uma linha de crédito cautelar será necessária para se defender de potenciais ameaças no acesso ao mercado de capitais, o SPD está aberto a dar apoio de acordo com as regras acordadas pelo Mecanismo de Estabilidade Europeu".

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.