Seguro trava onda de euforia e só pede mais um voto

Críticos acusam Seguro de "falta de ambição" e prometem pedir contas se partido não conseguir ter mais câmaras do que o PSD.

O "jornal i" escreve que "António José Seguro já definiu a fronteira entre uma vitória e uma derrota nas eleições autárquicas do dia 29 de setembro: "ganhar as eleições significa ter mais um voto do que o segundo partido". O secretário-geral do PS recusou traçar como meta ter mais câmaras que o PSD e os críticos da sua liderança acusam-no de "falta de ambição". "É um erro. A questão é saber se ganhamos mais câmaras ou não e se ganhamos ou não a Associação Nacional de Municípios", diz ao jornal um dirigente do PS, alertando que o líder do partido está a preparar o partido "para um mau resultado".

Segundo o jornal, "os críticos de Seguro vão manter o silêncio até ao dia das eleições autárquicas para não serem acusados de perturbar a campanha, mas estão atentos ao primeiro ato eleitoral de António José Seguro. "No dia 29 cá estarei para ajustar contas", diz um socialista, que prevê "um mau resultado pela forma como foi gerido o processo de escolha dos candidatos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG