Seguro suspeita de escutas ilegais

Socialistas temem que os telefones e a internet da sede estejam a ser alvos de violação.

O secretário-geral do PS, António José Seguro, supeita de estar a ser alvo de escutas ilegais. Segundo apurou o Correio da Manhã, foi entregue na passada sexta-feira na Procuradoria Geral da República (PGR) uma queixa e um pedido de investigação dos factos.

O CM sabe que a queixa foi feita por escrito e entregue pelo chefe de gabinete de Seguro, Miguel Ginestal, ao cuidado da própria procuradora-geral, Joana Marques Vidal.

Os socialistas desconfiam que os telefones, computadores e outros meios técnicos da sede nacional do partido, no largo do Rato, em Lisboa, estão a ser escutados.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG