Seguro garante que Orçamento não terá colaboração do PS

PSD quer socialistas envolvidos nas avaliações da troika, mas líder do PS rejeita qualquer conversa que envolva mais cortes.

O "Jornal i" escreve hoje que "uma semana antes da troika regressar a Portugal, o PSD desafiou os socialistas para ajudarem o governo a obter "uma oitava e nona avaliação com sucesso". Marco António Costa, porta-voz dos sociais democratas, pediu ainda ao PS para só decidir o sentido de voto em relação ao Orçamento do Estado para 2014 quando o governo apresentar um "texto concreto".

Segundo o jornal, "a resposta de António José Seguro foi clara: com os cortes previstos não há espaços para consensos. "Já tive oportunidade de dizer ao primeiro-ministro, não é de agora, que é necessário que abandone a política de cortes. Persiste, naturalmente, que não tem a colaboração do PS", garantu o líder dos socialistas, que está a percorrer todo o país na campanha para as eleições autárquicas. Ou seja, o PS votará contra um Orçamento do Estado que tenha "cortes nas pensões, nas reformas, na educação pública e na saúde".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG