Seguro aceita as exigências de Costa

O líder do PS não vai desperdiçar a oportunidade de dar a Costa a "unidade" que ele pediu.

O semanário "Expresso" escreve na sua edição de hoje que "ninguém falou em lugares. Por enquanto. A conversa entre António José Seguro (que se apresentou propositadamente sozinho) e a delegação embacbeçada por António Costa, na quarta-feira ao final do dia, versou apenas sobre as bases programáticas que hão de dar corpo à unidade exigida por Costa como condição para não avançar já com uma candidatura à liderança do PS", mas, segundo o semanário, "no devido tempo, não haja dúvidas, a "unidade" há de ter a tradução prática que se conhece: uma moção de estratégia redigida em conjunto, certamente, mas, sobretudo, uma recomposição dos orgãos dirigentes que contemple os pesos-pesados excluídos por António José Seguro do casting saído do Congresso de Braga, há ano e meio. E ninguém se vai espantar se o próximo Secretariado Nacional integrar António Costa e Francisco Assis e a liderança do grupo parlamentar for entregue a Pedro Silva Pereira".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG