Segurança Social burlada com baixas milionárias

Arguidos chegavam a receber do Estado mais de 700 euros por dia em subsídio de doença. Contabilista da Póvoa de Varzim terá organizado esquema, considera o Ministério Público.

O técnico oficial de contas é acusado de 64 crimes de associação criminosa e burla tributária, a par de mais 53 indivíduos, alguns clientes do seu gabinete de contabilidade em Amorim, Póvoa de Varzim, e dezenas de beneficiários de apoios indevidos. Entre eles, empregados de fábricas de confeção que declaravam ordenados de craques de futebol, segundo o Jornal de Notícias.

Entre 2004 e 2011, a rede tirou aos cofres do Estado pelo menos 764 mil euros.

Num dos casos, a Segurança Social pagou 736 euros dia a um empregado de uma imobiliária que tinha 38 mil euros de salário. Nesse mês, o Estado pagou 28 mil euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG