Se cortes continuarem IPATIMUP deixa de ser viável

Instituto de referência na área do cancro perdeu metade do orçamento em cinco anos. O diretor, Sobrinho Simões adverte: Se o financiamento continuar a descer, o IPATIMUP está em risco já em 2014.

O "Jornal de Notícias" escreve na sua edição de hoje que "a viver os melhores anos em termos de produção cientifica, projeção internacional e prestação de serviços de diagnósticos na área oncológica, o Instituo de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) sofreu, este ano, um corte de 25% nas verbas atribuídas pela Fundação de Ciência e Tecnologia (FCT). O diretor da instituição, Sobrinho Simões, lança o aviso: "Não é possível continuar a diminuir o financiamento". O investigador considera que o tecido de centros de investigação está em perigo com as atuais políticas de desinvestimento na ciência. "A base mínima está em risco. A FCT tem uma política de fragilização das instituições científicas que, a continuar, acabará por as destruir", diz.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG