Salgado abre a porta a saída prematura do BES

Presidente do BES recusa fazer comentários sobre se pretende cumprir o mandato no banco. Há pouco mais de uma ano, quando questionado sobre a sucessão, garantia sentir-se "ótimo" para o cargo.

O "Jornal de Negócios" escreve hoje que "Não lhe posso responder a essa questão". Foi a última frase de Ricardo salgado na conferência de imprensa em que o Banco Espírito Santo (BES) anunciou prejuízos de 517,6 milhões de euros em 2013. A questão era: "Pretende cumprir o mandato de presidente da comissão executiva do BES até ao fim?. Durante mais de uma hora, o banqueiro recusar responder a perguntas sobre a sua sucessão, processo iniciado pela família Espírito Santo, em bnovembro último, para pacificar a luta de poder entre Salgado e o primo José Maria Ricciardi. "Não vou falar sobre a sucessão.É um assunto entre acionistas e estamos aqui com o nosso chapéu de executivos do banco", justificou o banqueiro, num tom que se foi tornando mais impaciente".

Segundo o jornal, "em novembro de 2012, as respostas sobre o tema eram mais descontraídas. "Deve achar que estou em muito mau estado. O meu lugar está sempre à disposição dos acionistas", sublinhou na altura, garantindo, no entanto: "Sinto-me ótimo. Faço ginástica três vezes por semana e emagreci depois das férias".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG