Salários em atraso disparam em 42% pedidos à SS

Em 2012, mais de 33 mil trabalhadores acionaram o Fundo de Garantia Salariam (FGS) na tentativa de recuperarem salários, subsídios e indemnizações em atraso.

Trata-se do número mais elevado desde que o fundo foi criado (em 2001) e representa um aumento de 42% face ao ano anterior. Porém, e ao contrário do que seria de esperar, o número de trabalhadores que viram o seu pedido viabilizado pela Segurança Social caiu a apenas 15 mil conseguiram reaver parte dos créditos em dívida.

A degradação da situação económica e o aumento das insolvências para valores recorde - em 2012 mais de seis mil empresas declararam insolvência, um aumento de 39% face ao ano anterior - são algumas das razões que explicam o aumento dos pedidos de intervenção do fundo.

De acordo com a edição de hoje do jornal "Público", em 2013 a tendência mantém-se. Ao longo do mês de janeiro, o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, a entidade responsável pela gestão do FGS, recebeu 3604 requerimentos, mais 37% do que no início de 2012. Esses pedidos vêm sobretudo de trabalhadores da construção, indústria transformadora, têxtil e comércio (que representam 83% do total de pedidos entrados).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG