Rescisões e reformas no BCP podem atingir 2 mil

Banco enviou carta aos primeiros 600 colaboradores no dia em que apresentou prejuízos de 796,3 milhões de euros até setembro.

António Monteiro, presidente do conselho de administração, e Nuno Amado, presidente da comissão executiva, enivaram ontem uma carta aos funcionários do BCP a anunciar o plano de rescisões amigáveis e reformas antecipadas que, numa primeira fase, tem como objetivo afastar 600 trabalhadores até ao final de 2013.

Porém, de acordo com o jornal i, face aos elevados prejuízos registados nos primeiros nove meses do ano, o número de funcionários abrangidos por este plano de redução de custos pode chegar aos 2 mil, cerca de 20% dos quase 10 mil colaboradores atuais do banco.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG