Relvas ajudou Tecnoforma a ter monopólio de aeródromos

Projeto avaliado em 1,2 milhões de euros visava formar empregados municipais para funções que não existiam nos aeródromos do centro. Previa 1063 formandos para nove aeródromos municipais, todos na região Centro.

Segundo o jornal Público, dos nove aeródromos apenas três tinham atividade, ainda que residual, e uma dezena de trabalhadores. A formação devia custar 1,2 milhões de euros. As outras regiões chumbaram o plano.

O projeto de formação profissional de técnicos camarários para aeródromos municipais, que Relvas lançou enquanto secretário de estado da Administração Local, em 2004, foi feito à medida dos interesses da Tecnoforma - empresa ligada a Passos Coelho -, preparado previamente com ela e sem concorrência.

A candidatura era destinada apenas à região centro, e foi a mais cara de todas as aprovadas nas cinco regiões do país entre 2002 e 2008, no quadro do programa Floral, adianta o Público.

Exclusivos