Reclusos idosos não querem sair das cadeias

Em dez anos o número de reclusos com mais de 60 anos aumentou 26% nas cadeias portuguesas. Muitos não querem sair de lá porque não têm para onde ir ou são rejeitados pela família.

Atualmente há 199 pesos com mais de 65 anos a viver nas prisões nacionais. A maioria ingressou no sistema pela primeira vez já com idade avançada e por crimes graves como homicídios (98 casos) e violações (28 casos). As revelações foram feitas ontem pele sub-diretor geral de reinserção e serviços prisionais, Jorge Azevedo, num encontro em Lisboa sobre o envelhecimento em meios prisionais, diz o Jornal de Notícias.

Segundo o Código de execução de penas, quando o detido atinge os 70 anos pode pedir uma modificação da execução, regressando a casa ou a um estabelecimento de saúde ou acolhimento. No entanto, por vergonha, falta de recursos ou quebra dos laços familiares, muitos acabam por preferir ficar na prisão, revelou Jorge Azevedo ao JN.

O diretor-geral firmou ainda que o sistema tem vindo a desenvolver respostas específicas e adequadas a esta população envelhecida, sendo que muitos apresentam debilidades físicas e psicológicas que requerem atenção e tratamento médico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG