Queda da receita fiscal piora e pressiona meta de 5%

Vítor Gaspar já fez duas projecções para as receitas fiscais em 2012 mas a realidade da execução orçamental continua a contrariar as contas do ministro das Finanças.

O "Jornal i" escreve que a tendência de queda da receita dos impostos - a principal fonte de financiamento do Estado - agravou-se significativamente em setembro, mostram os dados da Direcção-Geral do Oçamento. A intensificação da sangria fiscal inverte a melhoria verificada em vários impostos importantes no mês anterior e põe já sob pressão as novas projecções do Governo para a receita fiscal, as segundas feitas pela equipa de Vítor Gaspar.

Até ao final de agosto, a queda acumulada da receita fiscal era de 2,4% - os números ontem publicados revelam que no final do terceiro trimestre a queda já era de 4,9%. Na proposta de segundo Orçamento Rectificativo, o Governo inscreve uma previsão de queda de receita de 5% em 2012 face ao arrecadado em 2011, o que sugere escassa margem de erro com três meses para o final do ano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG