Processo contra Marina Mota suspenso por 600 mil euros

A atriz faz parte do rol de 30 acusados no caso Furacão por ter usado um esquema que permitia fintar o fisco. CIrcuito de faturas falsas fictícias lesou o Estado em 40 milhões de euros.

O "jornal i" escreve hoje que "o processo crime contra Marina Mota, no âmbito do caso Furacão, foi suspenso mediante o pagamento de 600 mil euros ao Estado. O Departamento Central de iNvestigação e Acção Penal (DCIAP) - que acusou a atriz de fugir ao fisco com cerca de um milhão de euros - propôs ainda que a arguida ficasse impedida de emitir faturas falsas e de contactar com prestadores de serviços de planeamento fiscal. Isto, porque segundo a acusação, Marina Mota terá fintado o fisco usando "um circuito de faturação relativa à prestação de serviços fictícios" disponibilizando entre 2001 e 2007 pela entidade Finatlantic. Os investigadores acreditam que este esquema terá beneficiado dezenas de pessoas e lesado o Estado em cerca de 40 milhões de euros".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG