Povo contra sacristão que leva 30 euros para tocar o sino

Sacristão usa comando à distância para fazer tocar o sino eletrónico da igreja e cobra 30 euros às famílias para o fazer nos funerais.

O "Jornal de Notícias" escreve na sua edição de hoje que "o sino da igreja paroquial de Ventosa, em Vousela, é acionado por um comando à distância, mas para que toque nos funerais Custódio Correia, o sacristão, exige às famílias dos defuntos 30 euros, pelo trabalho de carregar no botão. A indignação dos habitantes tem vindo a crescer desde meados do ano passado, depois de ter sido instalado o sino eletrónico, cujo comando foi entregue pelo padre ao sacristão, que vive em Figueiras, a menos de dois quilómetros da igreja".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG