Portugal é o país resgatado onde depósitos mais resistem

Desde abril de 2010, altura em que a Grécia pediu o resgate, que os depósitos cresceram mais de 4% em Portugal, escreve o 'Diário Económico'.

O valor das aplicações em depósitos aumentou desde que o país pediu assistência internacional, ao contrário do que aconteceu na Irlanda ou na Grécia. Isto apesar de nos últimos meses ter existido uma descida no valor destas aplicações.

Os depósitos de particulares e empresas residentes na zona euro cresceram 4,12 desde que a Grécia pediu ajuda externa, o equivalente a 6,27 mil milhões de euros. Pelo contrário, o sistema helénico perdeu 60,6 mil milhões de euros, ou 27,7% dos depósitos. E os bancos irlandeses registaram saídas de 18,3 mil milhões, uma quebra de 12,6%.

"Em Portugal nunca se sentiu verdadeiramente que poderia haver um risco associado aos depósitos", constatou o economista da Informação de Mercados Financeiros, Filipe Garcia, ao 'Diário Económico'.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG