Polvo estragado esconde três toneladas de cocaína

Porto de Leixões era porta entrada para rede mexicana com oito portugueses. Mau cheiro confirmou suspeitas.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "oito portugueses, alegadamente membros de uma rede de tráfico de droga sediada no México, vao ser julgados pela importação de um contentor que, no meio de 23 toneladas de polvo estragado, escondia três mil quilos de cocaína. O Contentor chegou a Matosinhos no dia 23, tendo à sua espera um camião que, mais tarde, foi alvo de uma inspeção da Direção-Geral de Veterinária que constatou diversas anomalias, a começar pelo mau cheiro que exalava da carga, da cor anormal do polvo e da ausência de etiquetas nas caixas. Nessa altura, as autoridades já suspeitavam de que havia droga no meio do congelado. Abriram o contentor e, entre as 743 caixas de polvo podre, estavam três toneladas de cocaína, acondicionada em 100 caixas heméticas, em fibra de vidro".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG