Polícia reformado lança crianças na prostituição

Arlindo Oliveira abusou de seis vítimas. Dava entre 5 a 20 euros às menores para consumar os atos sexuais.

O "Correio da Manhã" escreve na sua edição de hoje que "Arlindo Oliveira, um agente da PSP reformado, geria a sua própria rede de prostituição de menores. Aliciava famílias pobres ou prostitutas com filhas ainda crianças, a quem pagava para poder abusar das mesmas. Há seis vítimas identificadas, entre os 10 e os 15 anos. Começa a ser julgado no próximo dia 30".

Segundo o jornal, "diz o Ministério Público que o polícia dava às menores entre 5 a 20 euros para irem consigo para locais isolados, em Castro Daire. É acusado de 19 crimes de abuso sexual de crianças e 17 de recurso à prostituição de menores, mas a procuradora arquivou o caso relativamente aos familiares. Só tinha a palavra das vítimas, disse a magistrada no despacho de acusação, considerando que tal não é suficiente. A acusação refere que o polícia reformado - que está preso desde junho do ano passado - cometeu os primeiros crimes em setembro de 2007".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG