PJ no Meco confirma praxes

A Polícia Judiciária esteve ontem à tarde na Aiana de Cima e ouviu testemunhas que dizem ter visto os jovens na praia com pedras agarradas aos pés.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "vários vizinhos da moradia arrendada pelos jovens arrastados por uma onda na praia do Meco, a 15 de dezembro, foram ouvidos ontem à tarde pela Polícia Judiciária de Setúbal. O seu testemunho é considerado fundamental, uma vez que, recorde-se, já disseram ter visto os jovens a arrastarem-se com pedras agarradas aos pés. Esta tese reforça a ideia de que o fim-de-semana organizado pela Comissão Oficial das Praxes Académicas (COPA) se destinava à realização de praxes". Segundo o jornal, "a PJ quer agora despistar se alguém retirou bens da casa na madrugada da tragédia".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG