PGR levou Cândida Almeida a investigar empresa de Passos

DIAP de Coimbra abriu meses antes inquérito às atividades da Tecnoforma, gerida por Passos Coelho. Procuradoria recusa esclarecer investigações em segredo de justiça.

O "Público" escreve hoje que "foi uma pergunta da Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, à diretora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Cândida Almeida, a questioná-la sobre a eventual existência de um inquérito naquele departamento do Ministério Público que levou a magistrada, que será substituida no cargo em Março, a abrir um inquérito já este ano às atividades da Tecnoforma, uma empresa que teve o atual primeiro-ministro como administrador entre 2006 e 2007. A ligação de Pedro Passos Coelho àquela empresa é mais antiga, tendo o político sido consultor pelo menos a partir de 2001".

Segundo o jornal, "uma fonte do DCIAP adiantou que meses antes foi aberto um outro inquérito no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra às atividades da mesma empresa, que terá sido favorecida por Miguel Relvas, então secretário de Estado da Administração Local, na atribuição de financiamentos (2003 e 2004) para a formação de funcionários das autarquias.

O jornal adianta que "o processo aberto em Coimbra tem por objectivo investigar o financiamento na formação de centenas de funcionários das autarquias da região Centro que alegadamente iriam trabalhar para aérodromos e heliportos municipais, a maior parte dos quais sem qualquer atividade".

Exclusivos