Pensões milionárias escapam aos cortes

Desta vez a solução é permanente. A contribuição de sustentabilidade para vigorar de 2015 em diante deixa de fora as pensões até mil euros e os fundos de pensões privados, que pagam muitas das pensões milionárias do País.

O "Jornal de Negócios" escreve hoje que "o Governo aprovou esta quinta-feira a medida central para as pensões que em 2015 deverá substituir, de forma permanente, a polémica CES. Já se sabia que para a maioria dos pensionistas os cortes serão bem mais baixos do que os aplicados este ano e que as reformas até mil euros ficam salvaguardadas. A novidade surge no âmbito da aplicação: ao contrário do que aconteceu nos últimos dois anos, a solução permanente deixa de fora os fundos privados de pensões, de onde são oriundas parte das chamadas "pensões milionárias" do País".

Segundo o jornal, "os contornos gerais da nova contribuição já tinham sido explicados no final de abril, aquando da apresentação do Documento de Estratégia Orçamental. Nessa altura, o ministro Pedro Mota Soares garantiu que a medida se aplicaria "exactamente ao mesmo universo de pensionistas da actual CES". Contudo, esta quinta-feira, acabou por se contradizer, garantindo que os cortes incidirão "sobre sistemas públicos de pensões e não sobre outros sistemas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG