Patrões ganham 4,5 mil milhões com as novas leis

Fim dos quatro feriados e de três dias de bónus de férias por anos por assiduídade implica um acréscimo de produção sem encargos adicionais com salários para os patrões.

O "Correio da Manhã" escreve que os patrões ficam a ganhar mais 4,5 mil milhões de euros à conta do novo Código do Trabalho que obriga a trabalhar mais sete dias por ano, entre feriados e dias de férias que são eliminados. O documento foi ontem promulgado pelo Presidente da República.

O economista Eugénio Rosa explica que "quatro dias não trabalhados correspondem a 2,6 mil milhões de euros". O mesmo que dizer que é este o valor que os patrões passam a faturar com a eliminação dos quatro feriados. "Os patrões conseguem assim obter um aumento de produção sem ter acréscimo com pagamento de salários", conclui o economista.

O documento acordado em concertação social prevê ainda o fim do bónus dos três dias, além dos 22 dias úteis de férias para os trabalhadores assíduos. Aos quatro feriados somam-se assim estes três dias. Um total de sete dias de trabalho adicional que representam 4,5 mil milhões de euros por ano a mais no bolso dos patrões

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG