Passadeiras para peões de Lisboa são um local perigoso

Plano de Acessibilidade Pedonal de Lisboa está em consulta pública até ao fim deste mês e contou quase seis mil atropelamentos desde 2004.

O "jornal i" escreve hoje que "olhar para a esquerda e a direita, e só depois atravessar. E sempre na passadeira. O Conselho é velho, mas não deixa de ser sábio, sobretudo para um lisboeta à beira de uma zebra pintada nas ruas de Benfica - a freguesia onde mais peões foram atropelados em passadeiras sem semáforo na capital. Estas e outras razões justificam que, em Lisboa, "forçosamente se deve concluir que a passadeira parece ser um local perigoso", diz o Plano de Acessibilidade Pedonal que a câmara prertende implementar na cidade até 2017".

Segundo o jornal, "as contas apresentadas no documento ajudam a perceber porquê: entre 2004 e 2011, quatro em cada dez pessoas (39,6%) atropeladas na capital estavam a caminhar numa passadeira. Nesses oito anos, um total de 5909 peões foram atropelados nas ruas de Lisboa - quase metade estava a menos de 500 metros de distância de uma escola. A maior fatia dos acidentes (2341) aconteceu numa passadeira não regulada por semáforo".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG