Onze futebolistas em 50 assaltos

A ilusão de atingirem carreiras profissionais em clubes portugueses fez com que oito jovens futebolistas rumassem da Guiné ao nosso país. Três atletas portugueses e oito guineenses, um deles a jogar na Naval, com ordenados em atraso, roubavam com violência nas ruas da capital.

Poucos atingiram o sonho, uma exceção é Samba Sedi, 19 anos, ao serviço da Naval 1.º de Maio, da Figueira da Foz. Até à manhã de ontem - a PSP foi buscá-lo ao treino. De acordo com a edição de hoje do "Correio da Manhã", Samba está preso, em conjunto com sete compatriotas e outros três portugueses, entre 18 e 27 anos, por mais de 50 roubos violentos nas ruas de Lisboa.

Seidi tinha clube, mas partilhava com os outros assaltantes as condições precárias - a Naval tem os ordenados em atraso. E os seus compatriotas estavam, tirando dois, colocados no Curuchense e Banaventense, à experiência em clubes de Lisboa.

Os 11 atletas, entre eles três irmãos, roubavam ouro e artigos de valor que vendessem rapidamente - assim obtinham dinheiro para se sustentar. O gang atacava em grupos de dois ou três elementos e sujeitava as vítimas a momentos de terror.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG