Marques Mendes ameaçado de morte por sócio

Marques Mendes foi ameaçado de morte e injuriado por António Xavier, com quem tinha sociedade e um conflito nas fotovoltaicas da Madeira, concluiu o Tribunal da Relação de Lisboa (TRC) em dezembro.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "a decisão confirma a sentença de primeira instância que condenou António Xavier, por cinco crimes de ameaça (um deles gravado) e cinco de injúria, a pagar multa de 2450 euros e a indemnizar o ex-líder do PSD em 3000 euros por dados não patrimoniais".

Segundo o jornal, "a situação mais grave ocorreu a 23 de dezembro de 2010, em reunião da administração da Eneratlântica, dona do parque fotovoltaico do Caniçal, onde Xavier e Mendes eram sócios e administradores. "Eu dou-lhe um tiro nos cornos", "mais cedo do que julga apanha um tiro na cabeça", a meaçou o primeiro, segundo testemunharam Paulo Caetano e Leitão Amaro, que ali representavam empresas acionistas ligadas a outros ilustres do PSD: Joaquim Coimbra e Ângelo Correia. Mas o Tribunal da Relação de Lisboa diz que Marques Mendes já fora ameaçado e injuriado em emails."

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.