Mais um banqueiro apanhado no polvo

Ricardo Castro era o rosto de uma segunda rede de branqueamento que operava com clientes portugueses do Banque Privée Edmond de Rothschild.

O "Correio da Manhã" escreve que o Ministério Público destapou mais uma ponta da complexa rede de lavagem de dinheiro a operar em Portugal, e deteve um banqueiro luso-suiço, Ricardo Arcos Castro, responsável por uma rede de branqueamento de capitais paralela à de Michel Canals. O luso-suiço está proíbido de contactar dezenas de clientes que, nos próximos dias, serão também eles constituídos arguidos.

O banqueiro operava a Arcofinance, uma sociedade sediada em Genebra que trabalhava com base numa lista de clientes portugueses do Banque Privée Edmond de Rothscild, também suiço. O elemento comum à rede de Michel Canals é Francisco Canas, o comerciante conhecido pela alcunha de "Zé das Medalhas" e que atuava como uma espécie de testa-de-ferro para as operações de transferência de capitais entre a Suiça e Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG