Mais de 41 mil inquilinos travaram subida das rendas

Um ano depois da nova Lei das Rendas, proprietários aplaudem mas inquilinos queixam-se de "aumentos brutais"; 41.314 inquilinos invocaram carência económica para travar subida das rendas

O "Público" escreve na sua edição de hoje que "as duas principais associações de proprietários, a ALP e a ANP, fazem um balanço positivo de um ano de aplicação da Lei das Rendas, que se completa hoje, destacando a forma pacífica como têm decorrido as negociações de atualização, que são maioritariamente dominadas pelos pedidos de carência económica. As duas associações têm estimativas diferentes sobre o número de contratos atualizados no último ano, admitindo, no entanto, que o processo ainda só agora começou, e pode mesmo acelerar".

Segundo o jornal, os números oficiais "são 41.314 certidões de Rendimento Anual Bruto Corrigido (RABC), pedidas para efeito da lei do arrendamento. O número de certidões, emitidas pela Autoridade Tributária e Aduaneira até final da semana passada, foi fornecido ao jornal pela Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais. As certidões de RABC começaram a ser emitidas apenas no verão, atrasando a atualização de muitos contratos, alguns iniciados ainda em 2012, o que implica o pagamento de retroativos. As declarações permitem fixar o valor das rendas, conforme os rendimentos, durante cinco anos: até 10%, no caso de 500 euros de rendimento mensal; até 17% nos salários de 1500 euros; e de 25% nos de 2829 euros".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG