Leilão dos Miró em junho está outra vez em risco

Fontes judiciais consideram "altamente improvável" que o leilão possa ocorrer em dois meses, antecipando novas ações em tribunal.

O "Diário Económico" escreve hoje: "Altamente improvável". É desta forma que fonte judicial reage à possibilidade de as 85 obras de Miró, do acervo do BPN, serem leiloadas em Londres em junho, como tem sido anunciado pelo Governo. Antecipa-se assim um novo cancelamento do leilão da Christie's face ao processo judicial que está em curso e que "dificilmente" estará concluído a tempo. Neste momento, está em curso nos tribunais uma segunda providência cautelar para travar a venda das obras, sendo que na semana passada foram entregues todas as contestações por parte dos advogados da Parvalorem (empresa criada pelo Estado para gerir os ativos do BPN)".

Segundo o jornal, "nos operadores judiciais existe a confiança de que estas ações serão diferidas e seguir-se-á um processo judicial contra as alegadas "ilegalidades" que terão sido cometidas pelo Estado português neste processo: a expedição das obras para Londres antes de terem sido cumpridos todos os requisitos legais exigidos e a não classificação e inventariação das obras de arte, o que seria exigido por lei".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG