Juiz Rui Rangel alvo de penhora

Proprietário da Pro TT diz que para conseguir ver cumprida a sentença do tribunal teve de requerer o arresto das contas bancárias do desembargador.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "o juiz Rui Rangel teve contas bancárias penhoradas depois de ter sido condenado a pagar 32,7 mil euros por uma dívida relativa a trabalhos mecânicos prestados pela Pro TT, empresa situada em Terrugem, no concelho de Sintra".

Segundo o jornal, "depois de ter sido condenado em setembro último ao pagamento da dívida, o juiz desembargador do Tribunal da Relação de Lisboa não cumpriu a obrigação na totalidade do prazo estabelecido, levando José Pereira, proprietário da empresa de reparação e comércio de veículos, a pedir a penhora das contas de Rui Rangel até obter o dinheiro em dívida. O empresário confirmou que "a advogada pediu a penhora das contas". Posso adiantar que a minha advogada me informou de que os bancos, através da penhora, já garantiram o pagamento da dívida", disse José Pereira, acrescentando que "Rui Rangel pagou cerca de 15 mil euros já depois de expirado o prazo. O restante dinheiro foi obtido através da penhora".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG