Tragédia do Meco com mais 20 testemunhas

Ministério Público deferiu audição de mais vinte testemunhas, que segundo as famílias podem confirmar que as vítimas estavam a ser praxadas.

O "Correio da Manhã" escreve na sua edição de hoje que "a Polícia Judiciária de Setúbal já ouviu mais de 20 testemunhas indicadas pelas famílias das vítimas da tragédia na praia do Meco, a 15 de dezembro do ano passado. São pessoas que os pais dos estudantes da Universidade Lusófona entendem ter elementos determinantes para o processo. A diligência foi deferida pelo Ministério Público de Almada, após uma investigação paralela desencadeada pelos familiares dos universitários".

Segundo o jornal, "entre as testemunhas estão vizinhos da casa alugada pelos jovens, em Aina de Cima. Alguns destes moradores já afirmaram publicamente que viram os estudantes da Lusófona, horas antes da tragédia, a rastejar com pedras agarradas aos pés, num cenário de praxe. Os familiares alegaram que os depoimentos dos vizinhos eram importantes ao provarem que os jovens estavam a ser praxados pelo 'Dux', João Miguel Gouveia, e que aquele fim de semana não era de simples convívio, mas sim uma prova de fogo".

Exclusivos