Subsído de férias nas mãos de Cavaco Silva

Governo avisado que terá de pagar em junho se a promulgação chegar tarde. A responsabilidade cabe agora ao Presidente da República.

O semanário "Sol" escreve hoje que "no dia em que todos vieram criticar o Governo por não pagar em junho o subsídio de férias que o Tribunal Constitucional obrigou a pagar, o Executivo recebeu um alerta interno: se a nova lei que permitirá o adiamento parcial desse pagamento não entrar em vigor até dia 30 de junho, o Governo estará em situação de ilegalidade, caso não pague esses subsídios imediatamente. Esse compormisso acabaou por ser dado pelo secretário de Estado do Orçamento num debate na Assembleia da República. Mas no Governo todos esperam a compreensão do Presidente da República pelo aperto do calendário - e uma promulgação rápida. Tão rápida que a lei deve chegar a Belém no início da próxima semana".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Geopolítica

5 anos. A Crimeia é russa mesmo que Ocidente não goste

Em março de 2014, no auge da rebelião na Ucrânia que derrubou o regime pró-russo de Viktor Ianukovitch, forças russas ocupavam a Crimeia e Moscovo decretava a 18 a anexação da península e a sua plena integração na Federação Russa. Era o início de uma crise que, cinco anos depois, continua a envenenar as relações entre a Rússia e o Ocidente.