Soares diz que "Seguro nunca se identificou com a esquerda"

Fundador do PS pensa que António Costa é o socialista indicado para "unir a esquerda", coisa que não fez o atual secretário-geral.

O "jornal i" escreve hoje que "Mário Soares fez a previsão de que o PS iria "ganhar por pouco" as eleições europeias e acertou. O ex-Presidente da República decidiu tomar partido na guerra interna que depois das eleições europeias foi aberta no Partido Socialista, por causa daquilo a que foi o primeiro a chamar "vitória de Pirro". Soares apoia claramente António Costa para a liderança do PS e faz críticas muito violentas a António José Seguro, que, na sua opinião, nunca "ouviu os socialistas que não o bajulassem" e "nunca falou à esquerda". O fundador do PS fala também da crise europeia, considerando que "os partidos socialistas e democratas-cristãos que fizeram a União praticamente desapareceram". Para voltar a ganhar as eleições, diz, a social-democracia europeia tem de se "bater contra a direita e defender acima de tudo os valores da esquerda".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.