"Ninguém sai da política de mãos limpas"

D. José Policarpo, faz hoje manchete no Jornal de Notícias. Em entrevista que marca os 50.º aniversário da sua ordenação, o cardeal patriarca de Lisboa afirma que faltam decisões políticas mais humanas. E diz mesmo que "na política directa como ela é feira hoje ninguém sai de lá com as mãos limpas".

Afirmando que mesmo num contexto de crise "a resposta da Igreja é sempre a do amor fraterno", D. José Policarpo afirma no entanto que nos últimos 50 anos mudou muito.

"A Igreja que está no mundo hoje tem de perceber que está num mundo que é completamente diferente do que era há 50, 40 e 30 anos", diz José Policarpo ao "Jornal de Nótícias".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.