Menezes excedeu em 70% orçamento para propaganda

Nas contas aos gastos de pré-campanha no Porto, as despesas em propaganda de rua da campanha do PSD derraparam em 70%, e as do PS ultrapassaram em 16 mil euros o máximo nessa rubrica.

O "Público" escreve hoje que "o Porto tem três tipos da campanhas: as controladas, as mais humildes e a de Luis Filipe Menezes. Oficialmente, a campanha eleitoral começa amanhã, mas há já algum tempo que a candidatura "Porto Forte", protagonizada por Menezes, tem as contas no vermelho. No terreno há muitos meses, o candidato social-democrata leva vantagem não só no número de cartazes espalhados pela cidade (várias vezes substituídos) mas também é o candidato com mais comícios realizados em pré-campanha".

Segundo o jornal, "as previsões feitas pela candidatura para o aluguer de estruturas metálicas para cartazes e telas e produção de outdoors já derrapou em 70%. E as despesas envolvidas com a preparação de comícios e espetáculos, que incluem pelo menos um porco no espeto por cada bairro, excederam três vezes mais a verba cabimentada, que é de 10.757,02 euros. O candidato socialista, Manuel Pizarro, ultrapassou em 16 mil euros o plafonamento para a propaganda eleitoral de rua, mas as contas em relação à realização de comícios e espetáculos (que dispõe de um orlçamento de 32.800 euros) estão em terreno positivo. De acordo com a lei, cada candidatura só pode gastar em estruturas para colocação de cartazes e telas 25% do valor da previsão da subvenção estatal, que, no caso do candidato do PSD. é de 171.979,65 euros (a segunda mais elevada)".

Ler mais

Exclusivos