Maioria dos deputados contra nova lei do tabaco

Novas medidas restritivas para os fumadores podem criar divisões na maioria governamental no Parlamento e ter a oposição das restantes bancadas.

"Se há quase cinco anos a Lei do Tabaco foi aprovada no parlamento com apenas cinco votos contra, a nova legislação que o ministério de Paulo Macedo está a preparar arrisca-se a não ter o apoio da maioria dos deputados", escreve hoje o jornal i.

A medida "não se livra de encontrar fortes divergências - não só nas bancadas da oposição como dentro da maioria PSD/CDS. O vice-presidente da bancada Hélder Amaral avisa que, pelo que se conhece das intenções do governo, os deputados do CDS 'são maioritariamente contra'. O CDS tem muitas reservas quanto à necessidade de fazer uma alteração profunda" nesta matéria.

À esquerda, o i escreve que PS e BE estão também contra. "O socialista António Serrano defende que 'é um erro avançar neste momento com a revisão da lei'. E os bloquistas contestam, pela voz de João Semedo, 'uma espiral proibicionista que nos pode levar a soluções de terror'".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.