Galp investe oito mil milhões na exploração de petróleo

A Galp vai intensificar, entre 2013 e 2017, a atividade de exploração e produção de petróleo. A empresa comprometeu-se, junto de quase uma centena de analistas financeiros, reunidos ontem em Londres, a perfurar entre sete a dez novos poços todos os anos.

Segundo a edição de hoje do "Diário Económico", uma estratégia que lhe permitirá garantir a descoberta de 100 a 200 milhões de barris de crude por ano, cerca do dobro do que é atualmente consumido em Portugal. Os principais mercados desta aposta são o Brasil, Angola e Moçambique, a par da Namíbia e Marrocos, os mais recentes países a integrarem a carteira de ativos da Galp na área da exploração e produção de petróleo.

A petrolífera liderada por Ferreira de Oliveira irá assim reforçar em quase dois mil milhões de euros o plano de investimento, agora revisto até 2017, para cerca de oito mil milhões de euros. O objetivo é gastar entre 1,4 mil milhões e 1,6 milhões de euros por ano, durante os próximos cinco anos. O cenário anterior apontava para uma meta anual, no período de 2012 a 2016, na ordem dos 1,2 mil milhões de euros, num total de seis mil milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.