Fraude no acesso aos Jerónimos e Torre de Belém

Funcionários do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém acusados de esquema fraudulento de entrada de visitantes.

O semanário "Expresso" escreve hoje que "mais de uma dezena de funcionários do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém estão a ser investigados pela Polícia Judiciária por suspeita de envolvimento num esquema fraudulento de emissão de bilhetes, permitindo a entrada de visitantes naqueles dois monumentos à margem da contabilidade oficial".

Segundo o semanário, "o caso está a cargo da Unidade Nacional Contra a Corrupção e de acordo com fontes conhecedoras do processo, os funcionários em causa poderão ser acusados do crime de infedilidade. O caso terá sido descoberto já este ano pela Direção-Geral do património Cultural, que avançou de imediato com um processo de averiguação interna e, confirmadas as suspeitas, com queixa formal às autoridades. Está em causa um esquema fraudulento de emissão de entrada de visitantes nos dois monumentos, alegadamente através da emissão de bilhetes falsos. Os visitantes nunca se apercebiam do que se estava a passar, mas a consequencia é facil de adivinhar: essa receita nunca entrava nas contas oficiais".

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.