François Hollande recusa receber ordens diretas de Bruxelas

Ao lado de Angela Merkel, o Presidente francês disse que avança com reformas, mas ao seu ritmo e não ao da Comissão Europeia.

O "Público" escreve hoje que "o Presidente francês, François Hollande, adotou ontem um discurso particularmente duro em relação a Bruxelas, numa conferência conjunta, em Paris, com a chanceler alemã Angela Merkel. Perante os jornalistas, Hollande afirmou que vai pôr em andamento as reformas que a Comissão Europeia tem pedido na área das pensões e do mercado de trabalho, mas acrescentou que será o Governo francês e não o executivo de Bruxelas a decidir que mudanças serão operadas e a forma como serão concretizadas. "Tem de haver soberania na concretização das medidas. A Comissão faz recomendações, mas não diz, substituindo-se aos Estados-membros, o que eles têm que fazer", afirmou.

Segundo o jornal, Angela Merkel não comentou as declarações do Presidente francês mas as críticas vieram logo a seguir de dirigentes do seu partido na Alemanha. "Não funciona, quando um grande país, como a França, diz que pode fazer o que quiser. Se um país da zona euro pensa que não precisa de respeitar compromissos, isso é preocupante", afirmou Michael Fuchs, vice-líder parlamentar do partido da chanceler, a CDU, no Bundestag".

Relacionadas

Brand Story

Mais popular

  • no dn.pt
  • Notícias
Pub
Pub