Estudo prova batota de milhões nos contratos das PPP

A concessionária de uma autoestrada com o dobro da sinistralidade média do País é penalizada em 950 mil euros, mas a concessionária de uma via com um índice de 2% do valor médio (praticamente sem acidentes), recebe quase o dobro da renda milionária.

As contas foram simuladas, a pedido do "Correio da Manhã" pelo investigador José Matos, que está a analisar, em colaboração coma associação cívica Transparência Internacional, os contratos feitos no âmbito das parcerias público-privadas. Os resultados preliminares já foram apresentados à PJ, há menos de um mês, no âmbito do processo onde os ex-governantes Mário Lino, António Mendonça e Paulo Campos são investigados.

Revelam, por exemplo, que se a concessionária tiver uma renda de 50 milhões recebe 49,5 caso a sinistralidade duplique a média nacional. Se não tiver acidentes, recebe 98 milhões. Quer isto dizer que a multa equivale a um por cento do valor da renda, enquanto o prémio pode atingir 100% de bónus.

Exclusivos