Dois agentes da PSP condenados a pena de prisão efectiva

Jovem de 23 anos foi espancado e humilhado numa esquadra de Lisboa em Julho de 2008.

Em notícia avançada pela edição de hoje do jornal "Público", dois agentes da PSP foram ontem condenados a uma pena considerada rara em Portugal: quatro anos e três meses de prisão efectiva, num caso, e quatro anos, noutro. Em Julho de 2008, agrediram um estudante alemão do interior da esquadra das Mercês, no Bairro Alto, com murros e pontapés. Os juízes da 5.ª Cara Criminal de Lisboa entenderam que as atitudes provadas durante o julgamento colocam em causa os próprios fundamentos do Estado.

O caso remonta a Julho de 2008: Adrian Grunert, um alemão então com 23 anos que se encontrava a estudar em Portugal, ao abrigo de programa Erasmus, saiu de casa no dia 25 à tarde para ir ao Museu de Arte Antiga, em Lisboa, com a namorada. O casal apanhou um eléctrico. Ela entrou, ele pendurou-se na traseira do veiculo e seguiu viagem sem pagar bilhete. No Largo do Conde Barão, quando o eléctrico estava parado, foi agarrado por dois agentes - Rui Neto e Osvaldo Magalhães.

Apesar de inicialmente recusar acompanhar os polícias, dizendo que tinha consigo os documentos da namorada, acabou por ser levado para a esquadra das Mercês sozinho. É aqui que, segundo o tribunal, os agentes, usando luvas de couro, lhe desferiram vários murros que o atingiram na cara, têmporas e orelhas. Depois de sair da esquadra o jovem foi directamente à esquadra da Lapa apresentar queixa. E, de seguida ao hospital. As lesões detectadas foram traumas múltiplos no corpo, hematoma retro-auricular, escoriações no cotovelo, no hipocôndrio e nas costas, cervicalgias.

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Notícias
Pub
Pub