Contrafação dá prejuízo ao país de 182 milhões por ano

É um negócio em expansão, não só nas roupas, nas bebidas, no tabaco ou no sofware. Há cada vez mais brinquedos, medicamentos ou peças de veículos contrafeitos. A atividade ilegal rouba 182 milhões por ano ao país.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "esta atividade representa entre 5 e 7% das trocas comerciais a nível mundial. E, segundo a Comissão Europeia, conduz a uma perda de 200 mil postos de trabalho por ano, implicando para as empresas e estados europeus prejuízos de 200 mil milhões de euros". Só em Portugal, as organizações internacionais que acompanham o fenómeno da contrafação, tal como "The Havocscope World Black Market Value", calculam prejuízos na ordem dos 182 milhões de euros para o Estado e indústria".

Segundo o jornal, "nesta época, às portas do Natal, segundo fontes policiais, as redes de contrafação estarão a redobrar a produção para responder à procura, direcionada para as prendas. Falsificam-se brinquedos, perfumes, óculos de luxo, marroquinaria, jogos, tabaco, bijutaria e muitos outros produtos que ostentam marcas abusivamente usadas".