Concorrência investiga contratos de gás da Galp

Regulador detetou eventuais irregularidades nos termos dos contratos entre a petrolífera e os seus revendedores de gás engarrafado.

O "Diário Económico" escreve hoje que "a Galp está a ser alvo de uma investigação por parte da Autoridade da Concorrência (AdC) na área do gás de garrafa. O regulador está a investigar os contratos assinados entre a petrolífera e os seus revendedores. No início de fevereiro, o presidente da entidade reguladora, António Ferreira Gomes, disse na Comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas que a AdC estava "a investigar contratos e restrições verticais que existem nesses contratos entre um distribuidor e os seus revendedores de primeira linha", sem, no entanto, revelar o nome das empresas envolvidas. De acordo com o mesmo responsável, a investigação "decorreu de um processo de supervisão do AdC", no âmbito do qual a instituição decidiu avançar com um inquérito".

Segundo o jornal, "o gás engarrafado é um dos segmentos de mercado analisado mensal e trimestralmente pela AdC que até agora tinha a incumbência de avaliar a evolução dos preços no mercado dos combustíveis. Terá sido no âmbito desta análise que o regulador detetou irregularidades que o levaram a analisar de forma mais aprofundada os contratos assinados entre a Galp e os seus revendedores".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.